NOME DE POBRE NO BRASIL

segunda-feira, 4 de março de 2013

UM POEMA DE CESARE PAVESE

Sempre gostei muito dos versos de Cesare Pavesi, especialmente destes, aqui traduzidos pelo Sergio Pachá, e compartilhados por meu querido amigo José Nêumanne Pinto. VERRÁ LA MORTE E AVRÁ I TUO OCCHI (VIRÁ A MORTE E TERÁ OS TEUS OLHOS) Verrá la morte e avrá i tuoi occhi questa morte che ci accompagna dal mattino alla sera, insonne, sorda, come un vecchio rimorso o un vizio assurdo. I tuoi occhi saranno una vana parola, un grido taciuto, un silenzio. Cos↓ li vedi ogni mattina quando su te sola ti pieghi nello specchio. O cara speranza, quel giorno sapremo anche noi che sei la vita e sei il nulla. Per tutti la morte ha uno sguardo. Verrá la morte e avrá i tuoi occhi. Sará come smettere un vizio, come vedere nello specchio riemergere un viso morto, come ascoltare un labbro chiuso. Scenderemo nel gorgo muti. Cesare Pavese Virá a morte e terá os teus olhos essa morte que nos acompanha da manhã até a noite, insone, surda como um velho remorso ou um vício absurdo. Teus olhos serão uma palavra vã, um grito preso, um silêncio. Assim os vês, cada manhã quando, sozinha, te dobras sobre o espelho. Ó cara esperança, naquele dia também saberemos que és a vida e és o nada. Para todos a morte tem um olhar. Virá a morte e terá os teus olhos. Será como abrir mão de um vício, como ver no espelho reemergir um rosto morto, como ouvir um lábio fechado. Mudos nos sorverá o remoinho.