NOME DE POBRE NO BRASIL

quinta-feira, 5 de junho de 2014

POBRE SÓ TOMA NO FULECO (FRASE ATRIBUÍDA A BEZERRA DA SILVA): PALAVRAS E EXPRESSÕES VINDAS DO FUTEBOL

http://deonisio.blogspot.com.br/2014/06/pobre-so-toma-no-fuleco-frase-atribuida.html O programa SEM PAPAS NA LÍNGUA de 5 de junho de 2014 pode ser baixado aqui: (dei o devido crédito a Luiz César Saraiva Feijó, meu colega da Academia Brasileira de Filologia, no livro FUTEBOL FALADO).http://www.hightail.com/download/ZUczRkJTSWVJMHVGa2NUQw O futebol tem uma linguagem toda especial e no Brasil é um fenômenos linguístico. Ele tem tal influência, não apenas no campo, mas na vida nacional, que ele adentrou à língua portuguesa e forneceu novos significados a palavras já conhecidas, inventou outras e levou certas expressões do campo de jogo para outros campos da atividade dos brasileiros. Exemplos: fazer o meio de campo (organizar); bateu a trave (quase acertou). Darei muitos outros exemplos. 1) Você pode apelar nos tribunais, isso é legítimo, mas não pode apelar em campo. 2) ARRASTAR-SE em campo não é literal. É apenas indicação de cansaço. Etimologia de arrastar. 3) A televisão não se dirige a seus telespectadores como VIDENTES, semelhando o rádio, que se dirige aos OUVINTES. Ela se dirige a TELESPECTADORES, quebrando a regra normal. 4) A expressão BARBA, CABELO E BIGODE não veio das barbearias, apesar de a elas fazerem referência. A origem é outra, que explicarei. 5) BOLA PRO MATO QUE O JOGO É DE CAMPEONATO. Mas às vezes era rio, lagoa, não mato. 6) Deu de CHALEIRA. Não veio da vasilha. Veio de Charles Miller. 7) Palavras tiradas de outros contextos: PEPE, O CANHÃO DA VILA.LADRÃO (de bola, que vem por trás), ESPIÃO ou OLHEIRO(que vai observar como joga o outro time, trazendo uma palavra da política e da guerra para mudar seu significado...); 8) Arquibaldo e geraldino: palavras criadas pelo jornalista Apolinho. Três palavras com histórias curiosas. 9) Em "Maraca", em vez de Maracanã (do tupi maraka' nã, papagaio), dá-se o mesmo processo de "profe" para professor. 10) Palavras e expressões curiosas, nascidas espontaneamente, mas que têm explicação: I- "Nem tudo o que cai na rede é peixe. Às vezes é frango". Armando Nogueira. II- "O homem me disse que se suspenderem, ele entra com um Corpus Christi pra mim". (Manga, confundindo Habeas Corpus com expressão aproximada, mais conhecida). III- "A bola veio e eu arrematei com o pé que estava mais à mão" (João Pinto, jogador português). "Mais à mão" é expressão já longe do que é designado por "mão", que às vezes é o "olho", a menor distância etc. IV- "Didi, o São Cristóvão está de uniforme novo" (Garrincha, ao ver a Inglaterra entrar em campo na Copa de 62 no Chile); V- "Quando o jogo está a mil, minha NAFTALINA sobe". (jogador Jardel, do Grêmio e depois do Porto). Adrenalina não era palavra conhecida dele; naftalina era. VI- "Jogador tem que ser completo como o pato, um bicho aquático e gramático". (Vicente Matheus, lendário presidente do Corínthians, que também disse que "a gente está na chuva é para se queimar")