NOME DE POBRE NO BRASIL

segunda-feira, 24 de março de 2014

TUBÉRCULO, TUBERCULOSE, SAPO CURURU E MANUEL BANDEIRA

A língua portuguesa tem a expressão "ouvido de tuberculoso". Hoje é o Dia Mundial do Combate à Tuberculose, que tem este nome vindo da palavra tubérculo, que em Latim "tuberculum", quer dizer inchaço, protuberância (nos pulmões). E pulmão veio do Grego "pneuma", ar, do mesmo étimo de pneu, e de espírito.
O poeta Manuel Bandeira sofreu muito com a doença e fez um poema triste sobre a tuberculose, onde narra ter ido ao médico, este pede que ele diga "33" e o médico reconhece que o cliente está tuberculoso e a "a única coisa a fazer é tocar um tanto argentino". Tuberculoso, ele não pôde ir à Semana da Arte Moderna no Rio. Ronald de Carvalho leu o poema dele, OS SAPOS, abaixo de vaias, porque era debochado contra os parnasianos, como no trecho final:
"Outros, sapos-pipas (Um mal em si cabe), Falam pelas tripas, - "Sei!" - "Não sabe!" - "Sabe!". Longe dessa grita, Lá onde mais densa A noite infinita Veste a sombra imensa; Lá, fugido ao mundo, Sem glória, sem fé, No perau profundo E solitário, é Que soluças tu, Transido de frio, Sapo-cururu Da beira do rio..." E o médico paulista Manuel Abreu inventou a abreugrafia, que muito ajudou e ajuda a detectar a tuberculose.