NOME DE POBRE NO BRASIL

terça-feira, 29 de abril de 2014

CUITELINHO: A VOLTA QUE A PALAVRA DEU

A VIAGEM DA PALAVRA CUITELINHO: O SOLDADO, O CARRASCO, A COZINHEIRA E O PASSARINHO No Latim, a faca bem afiada, de uso militar nos campos de batalha, depois muito apropriada a decapitações nas condenações à morte, migrou para o meio doméstico. Era conhecida por CULTELLUS, que deu cutelo em Português, com a variante cuitelo. Mas por que um passarinho como o beija-flor é também conhecido por cuitelo e cuitelinho, no diminutivo? Porque, segundo Antenor Nascentes, é arqueado como a lâmina da arma o bico deste doce passarinho. Paulo Vanzolini, Renato Teixeira e a dupla Pena Branca e Xavantinho são os responsáveis por esta obra-prima do Cancioneiro do Brasil. Quem conhece a norma culta, pode transgredi-la com fins estéticos, mas náo por ignorância. Conhecendo a norma culta - principalmente, Paulo Vanzolini, que era professor universitário - os compositores foram entretanto fiéis ao modo como o plural, a concordância nominal, a concordância verbal e outras regras da norma culta são feitos no interior do Brasil: "as onda se espaia" (marcação do plural apenas no artigo e a grafia de "espalha", tal como pronunciada). Parentalha vira "parentaia", para rimar com "terras paraguaia". "Fortes batáia" em vez de "fortes batalhas". "Naváia" em vez de "navalha". "Faia" em vez de "falha". "Os óio" em vez de "os olhos". E por fim "atrapáia" em vez de "atrapalha". "Cheguei na beira do porto,/ Onde as onda se espaia,! As garça dá meia volta! E senta na beira da praia! E o cuitelinho não gosta! Que o botão de rosa caia, ai, ai/ Ai quando eu vim/ Da minha terra/ Despedi da parentáia/ Eu entrei no Mato Grosso/ Dei em terras paraguaia/ Lá tinha revolução, enfrentei fortes batáia, ai, ai/ A tua saudade corta/ Como aço de naváia/ O coração fica aflito/ Bate uma, a outra faia/ E os óio se enche d'água/ Que até a vista se atrapáia, ai http://www.radio.uol.com.br/#/letras-e-musicas/renato-teixeira-e-pena-branca-e-xavantinho/cuitelinho/1737744 http://deonisio.blogspot.com.br/2014/04/cuitelinho-volta-que-palavra-deu.html