NOME DE POBRE NO BRASIL

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

PÉ, MEIA-CALÇA, MEIA, PEÚGA: DE ONDE VÊM ESSAS PALAVRAS?

Hoje, por volta de 20h20 na Bandnews Fluminense, PITADAS DO DEONÍSIO, com Pollyanna Bretas. Nosso pé é muito importante! Ícone da beleza feminina, enseja a produção de calçados maravilhosos, como sandálias, sapatos, meias, meias-calças etc. Com o pé a aviação mede a altitude em que voam os aviões. Vindo do Latim pedes, o étimo está também em peúga, como se chama a meia em Portugal, um lusitanismo que não pegou no Brasil. Mas no Sul pegou carpim para meia, do Italiano scarpino, diminutivo de Scarpa, sapato e também sobrenome, antes do Germânico Skarpa, saco de pele para se pôr algo dentro e onde se pôs o pé. Sapato e sapateiro são sobrenomes em muitas línguas, como é o caso do Alemão Schumacher...
Mas por que a meia no pé? Porque os soldados romanos, que usavam minissaia, ao chegarem ao clima frio da Germânia, atual Alemanha, precisaram cobrir as pernas e por isso esticaram o CALCEUS, calçado, fazendo dele botas, e dando origem à palavra calça, depois reduzida a meia-calça, depois a meia apenas, forma com que se consolidou.
Só no Português! Porque no Italiano o étimo de CALCEUS deu CALCIO, como os italianos designam o futebol para evitar o neologismo inglês que o Português adotou, o FOOTBALL, que deu futebol. E pé, do Latim PECUS ainda deu pecado, que é tropeço, quando o PEDES, pé, falha...E ainda temos o verbo TRIPUDIAR, do Latim tripudiare, do mesmo étimo de pedes, isto é, saltar calçado sobre o inimigo e maltratá-lo depois de vencido, coisa que os civilizados não devem fazer. Já de CEROULAS a origem é outra, o Árabe sirwal, como no Aramaico sirual, calça sob a calça, amarrada nos tornozelos, depois sinônimo de CUECA, entretanto veste feminina, que recebeu este nome por cobrir a primeira sílaba...que não é palavão em Portugal, mas no Brasil é.