NOME DE POBRE NO BRASIL

quinta-feira, 25 de julho de 2013

PAPA FRANCISCO AOS POUCOS TRAZ DE VOLTA O LATIM

Sei que é polêmica a sutil volta ao Latim na liturgia católica. Na década de 60, o Concílio Vaticano II adotou o vernáculo (a missa passou a ser rezada na língua de cada país onde era celebrada), jogando fora um patrimônio cultural e artístico de dois mil anos! O Direito, por exemplo, não abre mão de expressões latinas. Sabe que sem elas empobrecerá juízos, argumentações, defesas, acusações etc. Também a fauna, a flora, a medicina e muitos outros saberes jamais dispensaram o Latim e o mantiveram em nome da precisão. Por que a Igreja quase excluiu o Latim? Digo quase porque as encíclicas e muitos outros documentos decisivos continuam a ser escritos em Latim. A intenção de abandonar o Latim em nome da simplicidade foi boa, mas os resultados foram no mínimo controversos. Não estão aí as missas solenes, o cancioneiro religioso tão bonito com orações em Latim? Muitos cantores populares trouxeram o Latim para suas músicas, como fizeram Madonna, Sara Brightman, Andrea Bocelli, Luciano Pavarotti e tutti quanti. E a Igreja também está voltando ao Latim! É bem-vinda esta volta. O Latim não é apenas preciso, é uma língua bonita e repleta de sutis e fascinantes complexidades! Sacerdotes que fazem grosseiros erros de Português, quando falam e quando escrevem, precisarão estudar Latim. E também Português! Aliás, uma das coisas a corrigir é isso: na pressa de disputar com pastores das seitas paralelas ao cristianismo, a Igreja entregou seu rebanho a padres desqualificados. A pedofilia de alguns deles escandaliza. E a ignorância, como sempre, não causa escândalo algum? Também os padres precisam estudar. A volta ao Latim será um bom recomeço!