NOME DE POBRE NO BRASIL

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Quanto à censura a Lobato, recomendo um filme que vi em Portugal, em dezembro passado, logo depois do lançamento: A Toupeira. No Brasil é O Espião Que Sabia Demais, baseado no romance de John Le Carré, "Tinker, taylor, soldier, spy", publicado em 1974. Na linha do que fiz Michel Foucault em "A Microfísica do poder", você fica sabendo como funcionam os complexos mecanismos do controle político. O chefão, aliás, é chamado apenas "O Controle". E a equipe, "O Círculo". É preciso saber tudo em detalhes, mas poder exercer o poder, que inclui vetar, controlar, censurar. Defendi minha tese de doutoramento na USP, en 1989! Titulo: "Nos bastidores da censura", mesmo título do livro, lançado naquele mesmo ano pela Estação Liberdade, do nosso Jiro Takahashi. (Saudades de você, Jiro, querido amigo, inesquecível editor!)Poucos sabem, mas até a revista Playboy se interessou pelo assunto e eu obtive o primeiro lugal no Prêmio Abril de Jornalismo, pois sempre quis que fora dos muros universitários os leitores soubessem do que ali se produzia, que em geral é de boa qualidade e não tem público. SUSTENTO QUE A CENSURA NÃO É EXCEÇÃO, É NORMA. JOYCE, DANTE, FLAUBERT, D. H. LAWRENCE, OSCAR WILDE ETC, FORAM CENSURADOS NA FRANÇA, NOS EUA ETC. NO BRASIL, O CASO-SÍNTESE É RUBEM FONSECA, OBJETO DE MINHA TESE. AGORA AS HORDAS CENSÓRIAS SE VOLTARAM PARA MONTEIRO LOBATO. O FENÔMENOS NÃO É APENAS BRASILEIRO. NOS EUA, JÁ TIRARAM A PALAVRA "NIGGER" DAS OBRAS DE MARK TWAIN! A censura a Lobato vem no bojo do "controle" do "está tudo dominado", percebem? O objetivo é um só: impedir que o leitor leia e que os autores publiquem o que queiram, inclusive na mídia. O sonho deles é CONTROLAR! Porque daí podem assaltar o erário, os cofres públicos, e ninguém fica sabendo, percebem? No Brasil, fuciona assim: o rebanho estará entretido em discutir, repartido, as proibições a Monteiro Lobato, que é a bola da vez e mais uma tentativa de controlar o distinto público. Enquanto isso, eles fazem outras coisas, não é mesmo? No momento, estão concentrados em dizer que não houve mensalão. Que combater e levar a julgamento ladrões do dinheiro público é conspirar contra a democracia. Nunca antes neste pais vi ladrões se compararem a Getúlio Vargas!