NOME DE POBRE NO BRASIL

domingo, 7 de outubro de 2012

ELEIÇÕES: O BOLSO É UM SÓ, O SEU! DEONÍSIO DA SILVA * Ainda hoje a maioria dos municípios vai saber qual será seu novo prefeito (Executivo) e quais serão os novos vereadores (Legislativo). Dos três poderes, apenas os juízes (Judiciário) são selecionados por concurso público de provas e títulos. Prefeito e vereadores são eleitos. Eleição é tempo de boquinha, que designa emprego, gorjeta ou função de poucas responsabilidades e boa remuneração. São muitos os que esperam que os eleitos os atendam, naturalmente com o dinheiro alheio. E o que é pior: às vezes é o próprio candidato quem promete amamentar os pedintes descarados. Eleição é também tempo de brigadeiro, docinho criado em homenagem ao brigadeiro Eduardo Gomes. Uma senhora fez o quitute e ofereceu ao então candidato, que era celibatário. Ele elogiou o sabor. A doceira, para agradá-lo ou vender mais, passou a utilizar o endosso militar para divulgar o doce paisano. Outros dizem que o doce tem este nome porque a mineira soube que no episódio de Os Dezoito do Forte, em 1922, ele perdera os testículos. Como o doce é sem ovos e foi inventado nos anos seguintes à Segunda Guerra, época de escassez de muitos produtos no Brasil, a imaginação popular é que teria criado a denominação. Candidato significa sem sujeira. Na Roma antiga, aqueles que postulavam cargos vestiam-se de branco, um símbolo de honradez que a cor branca sempre teve. Nas democracias, marcadas por escolhas periódicas de representantes do povo, os candidatos passaram a vestir-se de muitas outras cores, mas o significado permaneceu. E tem havido muita decepção, principalmente com aqueles que criticavam os corruptos e se tornaram piores do que aqueles que denunciavam. Também o cargo de prefeito veio da Roma antiga. Era a autoridade posta à frente das fortificações que cercavam o município. Praefectus prae facere, fazer antes, antecipar-se, isto é, planejar. Originalmente, a função do prefeito não era a de esperar ou transferir responsabilidades, mas antecipar-se, resolvendo problemas apontados pelos vereadores, ouvindo-os e executando o que determinaram na câmara. Havia prefeitos que eram sacerdotes ou guardadores de rebanhos. Foi depois chamado praefectus villae, cuidador do povoado, administrador da vila, depois identificada pelo Império Romano por municipium, município, assim chamado porque ali era o lugar de o cidadão romano buscar seu munus capere, isto é, exercer seus direitos. Vereador era chamado também de edil. O edil tinha a missão de inspecionar e tomar providências para a conservação dos edifícios. Mais tarde vereador substituiu edil, designando a mesma função, mas cuidando também das veredas, as vias públicas. Fazia seu projeto e apresentava a seus pares na Câmara, assim chamada porque o lugar onde se reuniam era coberto por uma abóbada, camara em Latim. Vai votar hoje? Não vote em quem vai roubar para ele ou para o Partido dele, o que dá no mesmo, pois o bolso é um só: o seu! E daí vai faltar dinheiro para saúde, educação, cultura, ruas, estradas etc. (xx)