NOME DE POBRE NO BRASIL

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A LEVIANA, A SIRIGAITA, O FOGUETE E O FOGUETÃO

Na semana passada, Ana de Hollanda e Edwaldo Arantes estavam presentes à mesa quando eu disse em palestra em Guaxupé (MG), nos 50 anos do Unifeg, cujo reitor é nosso amigo Reginaldo Arthus, que Aécio Neves, ao chamar Dilma Rousseff de "leviana", ignorara que a palavra pode ser entendida como prostituta no Nordeste, e que, portanto, representara ofensa que o Lula rapidamente soube explorar, ao amplificá-la e recriminar seu uso. Imediatamente a mídia passou a mostrar trechos de debates em que o ex-presidente chamava o opositor de leviano. MAS NO MASCULINO! E isso fazia toda a diferença. Estes detalhes são decisivos para quem usa a língua portuguesa como ferramenta de trabalho, como é o caso de quem atua na política.
Muitas pessoas gostam de saber da viagem que as palavras fazem ao longo da história. E o feminino "leviana" tomou este tom pejorativo naquela região do Brasil. Leviano é sinônimo de inconstante, precipitado, irresponsável. Jazem aí as razões profundas de aplicar-se o feminino como equivalente ou próximo de sirigaita. Hoje leio no jornal "O Público", de Portugal, a manchete que utiliza palavra que no Brasil não é usual para designar o foguete espacial: FOGUETÃO. Como se chegou a esse significado? O latim vulgar CODA virou COET no catalão, depois COHETE no português e, por influência de FOGO, do latim "focus", que designa também a luz que você deve seguir num debate ou num projeto, na escuridão de muitas palavras, virou FOGUETE. Mas o aumentativo FOGUETÃO designou originalmente um cabo lançado a embarcações ameaçadas de naufrágio e aos náufragos. Com o advento da conquista do espaço sideral, a palavra veio a designar o gigantesco artefato que lança a nave espacial. http://www.publico.pt/mundo/noticia/foguetao-antares-de-empresa-orbital-explode-apos-lancamento-1674463