NOME DE POBRE NO BRASIL

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

POLÍCIA FEDERAL ENSINA LATIM

"Cui bono?", em Latim, (bom para quem?) é a variante de "Cui prodest?" (quem ganha? ). Foram proferidas por Cícero, mas ele citava um outro político chamado Lúcio Cássio Longino Ravilla, que as dissera num processo contra três virgens vestais acusadas de ter rompido o voto de castidade. Do sexo à política foi um pulinho.
Quebrar votos de castidade não espanta mais ninguém faz tempo, o que espanta são os crimes financeiros, cada vez mais ousados. Desta vez, os suspeitos de ganhar com os financiamentos da Caixa (foram pra Caixa eles também) são o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (já preso) e agora o ex-ministro Geddel Vieira Lima.
Os delegados da PF e membros do MP que dão nome às operações sibilam estas expressões pensando nos advogados regiamente pagos pelos criminosos. Quer dizer, estão ganhando bem? Então, mãos à obra: estudem um pouco de Latim, de Mitologia greco-romana, enfim de cultura clássica, muitas vezes matérias optativas no currículo dos cursos de Direito que fizeram.