NOME DE POBRE NO BRASIL

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

MEMORIAL JK PODE ESTAR COM O CORPO ERRADO

O que a seguir vou narrar lembra o SAMBA DO CRIOULO DOIDO, letra do jornalista Sérgio Porto, nosso inesquecível Stanislaw Ponte Preta: "Foi em Diamantina/ Onde nasceu JK/ Que a Princesa Leopoldina/ Arresolveu se casá/ Mas Chica da Silva/ Tinha outros pretendentes/ E obrigou a princesa/ A se casar com Tiradentes".
Leio que pode ser o corpo de Geraldo Ribeiro, o motorista de JK, morto com o presidente no acidente de automóvel, que está no Memorial JK. Os dois caixões eram iguais e pode ter havido a troca. Assim, o corpo do jazigo 410-b, na quadra 12, no Cemitério São João Batista, no Rio, pode ser o de JK e não o de seu motorista. O corpo de Juscelino Kubitschek foi enterrado com honras de chefe de estado, em Brasília, primeiramente no Campo da Boa Esperança, num túmulo próximo ao de Bernardo Sayão, um dos pioneiros de Brasília, de onde foi exumado em 12 de setembro de 1981, sem a presença de nenhum familiar. Os restos mortais do presidente - que, repito, podem ser os de seu motorista! - foram, então, levados ao Memorial JK. Em 15 de janeiro de 2017, fui ao Cemitério São João Batista. Procurei o jazigo 410-b na Quadra 12, tal como confirmado nos registros, agora digitalizados. O jazigo sumiu. Durante quase 2h um ex-coveiro, agora funcionário, me ajudou a procurar. Geraldo Ribeiro e JK, onde estão vocês? Brincando de esconde-esconde? Quem está em Brasília, quem no Rio? (xx)