NOME DE POBRE NO BRASIL

sábado, 14 de janeiro de 2017

O AGRONEGÓCIO NÃO ENTENDEU O ENREDO DA IMPERATRIZ

Não tem pé nem cabeça a polêmica de alguns líderes do Agronegócio e da Agropecuária com a Imperatriz Leopoldinense. No ano do centenário do escritor Antônio Callado (para mim, seu romance referencial é Quarup, cujo mito é citado no samba-enredo), nosso olhar sobre o índio, a floresta, o agronegócio e a agropecuária há de ser mais largo. Nele cabem visões diversas, plurais, não a visão maniqueísta de que uns querem destruir o que outros construíram. Não é nada disso. Contra ou favor, leia-se e ouça-se o samba-enredo, que, aliás, é muito bonito.
O CLAMOR DA FLORESTA Samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense no Caranaval de 2017 Autores: Moisés Santiago, Adriano Ganso, Jorge do Finge e Aldir Senna Intérprete: Arthur Franco Para mais informações, ver: http://www.rio-carnival.net/carnaval/escola-de-samba/imperatriz.php BRILHOU… A COROA NA LUZ DO LUAR! NOS TRONCOS A ETERNIDADE… A REZA E A MAGIA DO PAJÉ! NA ALDEIA COM FLAUTAS E MARACÁS KUARUP É FESTA, LOUVOR EM RITUAIS NA FLORESTA… HARMONIA, A VIDA A BROTAR SINFONIA DE CORES E CANTOS NO AR O PARAÍSO FEZ AQUI O SEU LUGAR JARDIM SAGRADO O CARAÍBA DESCOBRIU SANGRA O CORAÇÃO DO MEU BRASIL O BELO MONSTRO ROUBA AS TERRAS DOS SEUS FILHOS DEVORA AS MATAS E SECA OS RIOS TANTA RIQUEZA QUE A COBIÇA DESTRUIU SOU O FILHO ESQUECIDO DO MUNDO MINHA COR É VERMELHA DE DOR O MEU CANTO É BRAVO E FORTE MAS É HINO DE PAZ E AMOR SOU GUERREIRO IMORTAL DERRADEIRO DESTE CHÃO O SENHOR VERDADEIRO SEMENTE EU SOU A PRIMEIRA DA PURA ALMA BRASILEIRA JAMAIS SE CURVAR, LUTAR E APRENDER ESCUTA MENINO, RAONI ENSINOU LIBERDADE É O NOSSO DESTINO MEMÓRIA SAGRADA, RAZÃO DE VIVER ANDAR ONDE NINGÚEM ANDOU CHEGAR AONDE NINGUÉM CHEGOU LEMBRAR A CORAGEM E O AMOR DOS IRMÃOS E OUTROS HERÓIS GUARDIÕES AVENTURAS DE FÉ E PAIXÃO O SONHO DE INTEGRAR UMA NAÇÃO KARARAÔ… KARARAÔ… O ÍNDIO LUTA PELA SUA TERRA DA IMPERATRIZ VEM O SEU GRITO DE GUERRA! SALVE O VERDE DO XINGU… A ESPERANÇA A SEMENTE DO AMANHÃ… HERANÇA O CLAMOR DA NATUREZA A NOSSA VOZ VAI ECOAR… PRESERVAR!