NOME DE POBRE NO BRASIL

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ROLO, XAVECO, PEGUETE, PERIGUETE, PERIEX, XAVECAR: DE ONDE VIERAM ESSAS PALAVRAS?

Essas palavras surgiram recentemente: peguete, periex, periguete, rolo, xavecar e xaveco. A periguete tem aparência, comportamento e um modo de vestir, de calçar e de andar muito especiais. Ela é fruto de um novo comportamento feminino, dissidente do feminismo e da ordem estabelecida. Sexualmente livre, ela ameaça o casamento das outras e as uniões estáveis. A periguete não quer casar, ela só quer transar, que é um verbo de sentido comercial, como indica o étimo, que é o mesmo de transação. Em recentes telenovelas novelas, as atrizes Ísis Valverde e Tatá Werneck viveram periguetes. Periguete, surgida na Bahia, foi formada de perigosa e girl. Perigosa virou peri, e girl virou guete. Metade Português, metade Inglês. Já peguete foi formada de pegar, que tem no Português coloquial o sentido de comer, verbo já adaptado, segundo o dicionário Aurélio para “possuir sexualmente; copular com; papar, traçar, faturar”. O Aurélio abona o novo significado com um trecho do romance Dona Flor e seus dois maridos, de Jorge Amado. Não transcrevo o trecho porque, aceitável em livro, não fica bem no jornal. Quem pega a peguete não quer namorar, noivar ou casar. Ainfda assim, ela aceita dar para o parceiro eventual. O verbo dar também mudou de sentido para designar, segundo o Aurélio, “entregar-se sexualmente”. Outra palavra que surgiu com novos significados e sentidos é rolo. Designa uma relação que não é casamento, não é namoro, não é noivado, não é mancebia etc. Aparece até no status do Facebook, que requer que a pessoa indique o estado civil, se está num relacionamento sério etc. A mulher informa que estáão de rolo com Fulano ou indicam simplesmente que seu status é enrolada. Periex, segundo me informa o escritor Zeca Fonseca, filho de Rubem Fonseca, é a perigosa ex-mulher. A peri, de perigosa, foi acrescentado ex, de ex-mulher. Tornou-se perigosa pelas garantias que lhe dão as leis das pensões alimentícias, às vezes aplicadas e levadas a abusos. É um dos dois motivos de dívidas pelos quais o homem pode ser preso. O outro é ser depositário infiel. Xaveco designava originalmente embarcação muçulmana, muito usada por piratas no Mediterrâneo, entre os séculos XVIII e XIX, segundo nos informa o dicionário Houaiss. Passou depois a designar qualquer navio em mau estado de conservação, sujeito a naufragar ao primeiro contratempo. Daí passou a designar também homem ou objeto de pouco valor. Depois aplicou-se a comportamento imoral, criminoso ou simplesmente cínico. Por fim, xaveco tornou-se sinônimo de paquera, cantada, ensejando o verbo xavecar, equivalente a paquerar (que veio de caçar paca) e e azarar. O povo brasileiro cria palavras todos os dias. Elas demoram a chegar aos dicionários, mas isso não impede seu uso, na fala como na escrita. (*) Escritor, colunista da Bandnews, professor (aposentado) da UFSCar (SP) e consultor das universidades Estácio (RJ) e Unisul (SC). Autor de 34 livros, entre os quais De onde vêm as palavras (17ª edição). www.lexikon.com.br