NOME DE POBRE NO BRASIL

sábado, 1 de setembro de 2012

DONA CONSTITUIÇÃO É A IMPERATRIZ DO BRASIL

O lema do Ministério Público Federal é "seu direito, nosso dever". O atual Procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel Santos, encerrou a denúncia do mensalão, lida no STF, com estes versos de Chico Buarque: "Dormia/ A nossa pátria mãe tão distraída/ Sem perceber que era subtraída/ Em tenebrosas transações".Ele é cearense, nasceu no dia 24 de setembro de 1954, tem dois filhos e se formou em Direito pela UFRJ. Ao Destino agradam as simetrias, diz num de seus textos mais encantadores o escritor argentino Jorge Luís Borges, nascido em Buenos Aires no dia 24 de agosto de 1899. Muitos jornalistas se esforçaram para avivar aos olhos e aos ouvidos dos brasileiros de bem o quanto é grave a questão do mensalão. Um dos mais importantes a fazer isso é Augusto Nunes da Silva, nascido a 24 de setembro de 1949 em Taquaritinga. Trabalhou na versão impressa da revista Veja entre 1973 e 1986 e tinha apenas 23 anos quando integrou aquela equipe memorável, fazendo a maior revista semanal de informação do Brasil. Há alguns anos está de novo na Editora Abril, desta vez na Veja.com, onde escreve, entrevista e apresenta alguns minutos deliciosos e imperdíveis também em vídeo. Aqueles que navegam pouco ou jamais o fazem na mídia digital talvez não saibam que basta um brasileiro corajoso escrever e dizer o que pensa para receber uma chusma de insultos e calúnias, que seus autores pensam ser anônimas ou pelas quais não vão responder em juízo. Vão, sim, e já estão respondendo. Um blogueiro que caluniava Augusto Nunes, mandava seus comentários do computador de uma empresa estatal, que, revelada a trama, pediu desculpas públicas ao jornalista, mas o processo contra o caluniador continua. Muitos pensaram algo semelhante sobre o mensalão. "Vai dar em nada", diziam. Pois está dando em tudo! Na semana passada começaram a sair as primeiras condenações por placares que foram de 9 x 2 em alguns casos. E as simetrias do Destino? Lula esperava que os ministros nomeados por ele para o STF absolvessem a todos os réus do mensalão! Enganou-se! Foi o presidente da República quem os nomeou, não ele! Lula apenas ocupava o cargo naquele período. Numa democracia não há imperador, há imperatriz, e a imperatriz é a Lei! A pátria acordou! Quem acordou os sonolentos foram a palavra e aqueles que a utilizam com ética, como vêm fazendo esses heróis das redes sociais e do jornalismo em todas as suas versões: no rádio, na TV, na internet. Poucas vezes o Brasil deveu tanto a tão poucos e tão corajosos. Escreveu Camões: "Enfim, não houve forte capitão,/ Que não fosse também douto e ciente,! ". Menos no Brasil, onde a ignorância passou a ser virtude de uns anos para cá. Mas as coisas estão mudando! O STF que o diga!(xx)