NOME DE POBRE NO BRASIL

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

FOLHINHA COM DIAS PRETOS E VERMELHOS. POR QUÊ?

SEM PAPAS NA LÍNGUA DE 1/1/2015 https://www.youtube.com/watch?v=a23945btJYw ETIMOLOGIA E CURIOSIDADES DOS CALENDÁRIOS Nada de Michel Teló e assemelhados! Nosso primeiro programa do ano na Bandnews FM 94,9 começou música de Beethoven e letra de F. Schiller,a companhia de Ricardo Boechat e Maíra Gama, que me acham onde quer que eu esteja. A "folhinha" remete às sibilas que escreviam em folhas de árvores as profecias do ano que começava. Feriados, domingos, e dias santificados têm a cor vermelha, remetendo ao Latim vermiculus, originalmente um verme de fornecia o pigmento para tingir as roupas dos nobres: civis religiosos, militares. Outro fornecedor era a púrpura, molusco de difícil captura. A caça e a pesca dos dois era proibida para que somente os poderosos tivessem acesso a essa cor. O cartão vermelho nos campos de futebol (proibição), o rubor nas faces (indicador de vergonha na cara, sentimento nobre-, os outros amarelam de medo...) e outros símbolos com essa cores nasceram aí.
O homem sempre olhou para cima, para o céu, de noite ou de dia, não apenas pelos fenômenos atmosféricos, mas porque foi originalmente coletor (de frutas: precisava saber as estações em que elas davam...), caçador (caçava à noite: noites claras, de Lua iluminando a mata, eram observadas com cuidado), agricultor, pecuarista. Precisava conhecer, medir, contar o tempo, pois a vida de todos era finita! Plantas, animais, pessoas envelheciam e morriam, cumprindo prazos para amadurecer, procriar, morrer.... Surgiram os calendários. Durante milênios, valeram outros, como os calendários egípcio, chinês, babilônico etc. Desde outubro de 1582, vale o GREGORIANO.
As formas de contar e medir o tempo sempre tiveram vinculações religiosas, mesmo depois que anos e meses foram cientificamente fixados. Ainda hoje notamos isso nas cores dos dias da folhinha, que marcam feriados (religiosos e civis). O arcebispo irlandês James Usher (1581-1656) exagerou: baseado em estudos bíblicos, disse que o mundo foi criado no dia 23/10, uma sexta-feira, de 4004 a.C., às 9h da manhã. O estudioso hebreu Dr. John Lightfoot (1602-1675), vice-chanceler da Universidade de Cambridge, construiu uma cronologia da história de genealogias bíblicas. Ele calculou que o mundo foi criado ao equinócio em setembro de 3298 A.C., à terceira hora do dia (9 da manhã). Tivemos que esperar o século XX, quando Rutherford e Boltwood determinaram a idade de pedras e minerais a partir de medidas de decaimento radioativo. Eles encontraram idades de 500 milhões de anos a 1.64 bilhões anos. Trabalho subsequente encontrou amostras de pedra tão antigas quanto 4.3 bilhões anos.