NOME DE POBRE NO BRASIL

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

O JUIZ SÉRGIO MORO FAZ PALESTRA EM HEIDELBERG

https://www.facebook.com/deonisio.dasilva/posts/1270399962982321?notif_t=like¬if_id=1481286451738215 O juiz Sérgio Moro aguarda o embarque. Parece apreensivo. "O tempora, o mores!" (que tempos, que costumes!). Juízes, procuradores e promotores de Justiça estão apreensivos, como estão apreensivas também as pessoas de bem. Estamos à beira de acontecimentos decisivos. Que vergonha para quem subscreve a "carta" à Universidade de Heidelberg (55 Prêmios Nobel estudaram ou ensinaram ali, e 10% dos alunos vêm de 130 países) reprovando o convite que a prestigiosa universidade alemã fez a Sergio Moro! Não discuto as ideias nela expostas. Acho repugnante, neste contexto, brasileiros falarem mal de um brasileiro do qual discordam, enviando documento para uma universidade que o distingue com um convite tão honroso. Quem o convidou não está dizendo de antemão que com ele concorda ou dele discorda, está convidando o magistrado, que é também professor universitário, dois ofícios obtidos por concurso público, para uma palestra, seguida de debate.
Lembremos o caso Carlos Chagas, que perdeu o Prêmio Nobel - naquele ano não foi concedido a ninguém - porque, depois de atribuído e antes de ser divulgado e concedido, aconteceu algo inusitado: brasileiros caluniaram o cientista nos bastidores, sem que ele pudesse se defender. Há algum tempo está na moda o seguinte: universidades brasileiras adestradas e algemadas só convidam para palestras quem concorda com os dirigentes eventuais, esquecendo-se de que estes são provisórios e alguns dos ex-reitores, pasmem, estão nas listas de delações da Odebrecht. Ah, então agora entendemos o que alguns fizeram no verão passado... Sem o trabalho dos procuradores da Lava-jato quando saberíamos disso?