NOME DE POBRE NO BRASIL

sábado, 4 de abril de 2015

POR QUE É SANTA ESTA SEMANA?

http://www.jornalpp.com.br/colunista/item/91970-por-que-e-santa-esta-semana
POR QUE É SANTA ESTA SEMANA? Deonísio da Silva º Semana não foi originalmente o período que vai do primeiro dia (o domingo) ao último (o sábado). Veio do Latim “septimana”, feminino de “septimanus”, que marcava a “nona”, o 9º dia antes dos “idus” de cada mês, que caíam no dia 15 ou no dia 13, conforme o mês. Mês veio do Latim “mensis”, ligado a “mensus”, palavra que servia para medir as quatro fases da Lua. E também o ciclo da mulher, chamado por isso “menstruação” (+ ou – 4 luas). A Lua e o Sol ajudam-nos a contar o tempo, que, para os homens, tem como lema a doce recomendação bíblica: “em tua existência fugaz, goza a vida com tua amada companheira porque esta é a parte que te cabe dos trabalhos que suportas”. Ano, do Latim annus, círculo, tem este nome porque designa o período que a Terra demora para dar uma volta ao redor do Sol. A volta que ela dá ao redor de si mesma chama-se dia, do Latim “dies”, designando o espaço entre o nascer e o pôr do Sol, inicialmente. A parte escura em Latim é “nox”, noite. O Sol está em solene e solenidade... Calendário, do Latim “calendarium” veio de “calendae”, do verbo “calare”, convocar, designando o primeiro dia de cada mês, dia de pagar as contas, inclusive os impostos! Mas a semana santa começou de fato na quinta-feira, uma vez que ninguém chama os três dias anteriores de santos. Só os três últimos (quinta, sexta e sábado). Também a quaresma, que termina hoje, domingo, começou na quarta-feira de cinzas (18/2). Teve 45 dias. Ou no domingo de ramos (15/2), segundo alguns livros de referência, totalizando 48 dias. Mas quaresma veio do Latim “quadragesima”, aludindo ao número “quadraginta”, quarenta. Jesus marca o tempo (a.C. e d.C.) porque 4 dos 40 evangelhos escritos entre os séculos I e III contaram sua biografia. Como diz o narrador de “Avante, soldados: para trás”, não fossem os evangelistas, Jesus teria existido, mas ninguém saberia Dele! Donde este caráter sagrado da escrita, que é mais sacerdócio do que profissão. De resto, escritor é profeta, não porque diz o futuro, mas porque o interpreta ao narrar presente e passado! (xx)