NOME DE POBRE NO BRASIL

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

O PRIMEIRO JORNAL DO MUNDO

“Uma briga num bar é mais importante do que uma revolução no Chile”, dizia o fundador do Jornal do Poste, ainda hoje afixado nos muros de São João del Rey, uma espécie de Macondo das Minas Gerais. O Jornal do Poste ainda existe e chega a ter três edições diárias. Seu fundador foi João Lobosque Neto, o Joanino, fiscal da Receita e proprietário de um boteco. Nas sextas-feiras, quando o pessoal do interior vinha fazer compras, o texto era mais simples. A briga, não de bar, mas de taverna, não era importante para os antigos romanos. Importantes eram as batalhas travadas por Júlio César na Gália, atual França, de onde voltou com retumbantes vitórias, o rei Vercingetórix preso numa gaiola e uma obra literária referencial, “De Bello Gallico”, A Guerra Gaulesa. E ainda atravessou a rio Rubicão pronunciando a frase famosa “Alea jacta est” (A sorte foi lançada). Foi obra dos antigos romanos o primeiro jornal do mundo, o ACTA DIURNA POPULI ROMANI (atos diários do povo de Roma). Eram afixados diariamente no Fórum para que as pessoas pudessem saber o que estava acontecendo. No começo eram publicados apenas editais, mas depois começaram a ser noticiados também casamentos, nascimentos, avisos fúnebres e outras notícias. Além das “Acta Diurna”, havia também os “Annales” (anais), com o registro das grandes batalhas e das conquistas de novos territórios, e as “Acta Publica”, cujo tema era o comércio. As três publicações romanas estavam sob controle republicano. O que mudou? Patrícia Poeta foi demitida do Jornal Nacional, depois de pôr o dedo na cara da presidente da República! “Isso não se faz, Arnesta, nós não se importa, mas você você devia ter deixado recado na porta”, não na cara da presidente que é de todos nós, afinal o povo a elegeu. E talvez a eleja de novo. E aí, como fica? A mídia mudou pouco nesses dois milênios. O que mais mudou foi a tecnologia. º da Academia Brasileira de Filologia, professor e escritor, colunista da Rádio Bandnews (RJ) e diretor-adjunto da Editora da Unisul (SC).