NOME DE POBRE NO BRASIL

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

ETIMOLOGIA DESTA SEMANA EM CARAS

Caderno: do latim quaternus, assim chamado porque originalmente era uma folha dobrada em quatro partes. Ele substituiu o rolo de papiro e a lousa portátil, depois que a grande lousa tornou-se recurso didático quase exclusivo do professor.

Difusão: do latim diffusione, declinação de diffusio, do mesmo étimo de fundere, espalhar, e de funda, funda, laçada de couro ou de borracha para atirar pedras. Na mídia, depois do jornal, do rádio e da televisão, a difusão ganhou dimensões de multimídia. Uma das conquistas mais recentes é expressa no neologismo podcast, palavra forjada pelo escritor britânico Ben Hammersley (36) a partir de iPod — I, eu, em inglês, e pod, acrônimo para portable on demand, portátil sob demanda, mas aqui com o sentido de Eu desejo — e broadcast, transmissão.

Lousa: do latim lausiae, pedra rasa assentada sobre a sepultura. Como redução de lausiae lapides, pedra de ardósia, designava a lousa, quadro de ardósia de tamanhos variados, com moldura de madeira, posta sobre a carteira escolar, fixada na parede ou sobre um cavalete, destinada a nela se escrever com giz. Desde a antiga Roma, o aluno levava a lousa para a schola, intervalo para aprender, depois que o ensino deixou a aula, o palácio, e foi levado a todos, livres ou escravos. Com o tempo, ficou apenas a lousa grande, que mudou de nome para quadro-negro, e em cuja superfície o aluno às vezes era instado a manifestar a todos os colegas e ao professor sua ignorância ou saber! No tablet, a ignorância e a sabedoria tornaram-se privativas de cada um, que vai partilhar apenas o que quiser!

Ouvir: do latim audire, a partir da raiz indo-europeia aus, orelha, presente no grego otós, genitivo de oûs, ouvido, étimo presente em otite e ótico. Não confundir com óptico. Ótico diz respeito ao ouvido, à audição. Óptico, à visão. Otite é inflamação do ouvido. Óptica diz respeito à visão e aos olhos. O poeta carioca Olavo Bilac (1865-1918) fez, entretanto, uma criativa e complexa união entre os dois verbos, ouvir e ver, nestes versos: “ ‘Ora (direis ) ouvir estrelas!/ Certo, perdestes o senso!’/ E eu vos direi, no entanto/ Que, para ouvi-las,/ muitas vezes desperto/ E abro as janelas, pálido de espanto./ E conversamos toda a noite,/ Enquanto a Via-Láctea, como um pálio aberto/ Cintila./ E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,/ Inda as procuro pelo céu deserto./ Direis agora: ‘Tresloucado amigo!/ Que conversas com elas?/ Que sentido tem o que dizem,/ Quando estão contigo?’/ E eu vos direi:/ ‘Amai para entendê-las!/Pois só quem ama pode ter ouvido/ Capaz de ouvir e de entender estrelas.’ ”

Tablet: do francês tablette, pelo inglês tablet, diminutivo de table, mesa, designando originalmente mesinha, placa, tabuinha e também livro de lembranças. Modernamente, aplica-se a computador pessoal, em formato fino e pequeno, que semelha a versão eletrônica da lousa usada para estudo entre os antigos romanos. Dispensando o mouse, é operado pelo sistema touch screen, toque na tela. O tablet não exclui o professor! Torna-o muito mais eficiente, por melhor aparelhá-lo! As bibliografias são inseridas, atualizadas e disponíveis, a um clique, o que permite a docentes e alunos um novo e poderoso quadro de referência para ensinar melhor. Há evidências de que a qualidade do ensino vem melhorando após a adoção do tablet.

Urbano: do latim urbanus, habitante da urbs, urbe, como era designada no latim a cidade, que passou depois a civitas. O étimo antigo ainda é predominante, como se constata em subúrbio, bairro nos arredores da cidade, e suburbano, aquele que mora nesses lugares. Urbano tomou o sentido de educado, em oposição a aldeão e vilão, habitantes da aldeia e da vila.

Vinheta: do latim vinea, vinha, pelo francês vignette, enfeite usado para adornar peça de mobília ou de louça e ilustrar manuscritos, servindo também para destacar ou separar certos trechos da escrita. Recebeu tal designação porque esses ornamentos tinham a forma de folhas de parreira e cachos de uva. No rádio e na televisão, designa chamada de curta duração utilizada em abertura, encerramento ou reinício dos programas, para destacar a estação, o conteúdo ou o patrocinador.